quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Como se armazenam as plantas num herbário?

Os herbários são coleções de plantas, normalmente de uma determinada região geográfica. Eles ajudam tanto a sociedade em geral quanto os cientistas, fornecendo a identificação desses seres vegetais: eles indicam plantas benéficas para o ser humano (como as medicinais) e também advertem sobre aquelas que lhes causam algum tipo de prejuízo (como as plantas tóxicas e as daninhas); podem servir como centro de treinamento de botânicos e dão um importante suporte para pesquidores como os agrônomos, farmacólogos e ecólogos.

Mas... como as plantas são conservadas nessas coleções?
 

Num herbário, amostras de madeiras, sementes, frutos e plantas inteiras são geralmente guardados dissecados;  flores e frutos podem ser conservados em meio líquido. Se bem armazenadas, essas amostras podem durar até centenas de anos em perfeito estado.

No Herbário Prof. Honório Monteiro, do MHN-UFAL, a maioria dos espécimes é conservado de forma desidratada. As plantas são prensadas e postas numa estufa para secarem; depois são coladas, costuradas ou presas, com uma fita especial, a uma pasta de cartolina. No canto inferior ficam escritos o nome científico e outras informações sobre a planta; as sementes ficam guardadas num pequeno envelope. A essa espécime, dentro da cartolina e junto às suas informações básicas, damos o nome de exsicata.

Exemplo de exsicata.
O ideal é conservar amostras dos diversos estágios de vida de uma mesma espécie vegetal. As exsicatas devem ser guardadas num ambiente sem umidade e de baixa temperatura, para evitar a decomposição.

Prensa.
Outro exemplo de exsicata.
Envolope para sementes.
Armazenamento das exsicatas.

Consultoria: Maria Carolina de Siqueira Padilha, Técnica de Laboratório do Museu de História Natural.
Bibliografia: MORI, Scott Allan et al. Manual de manejo do herbário fanerogâmico. Centro de Pesquisas do Cacau, Rodovia Ilhéus - Itabuna, km 22, Ilhéus - Bahia. 1985.
Texto e imagens: Pedro Barros Lima do Nascimento, estudante de jornalismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário