sexta-feira, 25 de maio de 2012

Setor de Herpetologia colabora com pesquisa sobre répteis e anfíbios da Caatinga

Pedro Barros - estudante de jornalismo

Em março, foi realizado o primeiro trabalho de campo do projeto "Representatividade da Herpetofauna em Unidades de Conservação da Caatinga: Diversidade, Filogeografia e Relações com Biomas não Florestais da América do Sul". A proposta, liderada pelo Departamento de Zoologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), tem parceria com o MHN-UFAL.
 
Entre os principais objetivos do trabalho estão a catalogação de espécies herpetológicas (répteis e anfíbios) das unidades de conservação da Caatinga e a identificação dos processos históricos responsáveis pelos padrões atuais de sua diversidade e distribuição nos biomas não florestais. "Os produtos deste estudo serão utilizados para a criação de planos de manejo, assim como auxiliarão na gestão de unidades de conservação, direcionando decisões e minimizando problemas relacionados à conservação das espécies", acrescenta a bióloga e pesquisadora voluntária do Setor de Herpetologia, Cristiane Palmeira.

A bióloga Cristiane Palmeira com uma Boa constrictor, espécie de jiboia, coletada na Estação Ecológica Raso da Catarina (BA).

Cristiane está vinculada ao projeto como bolsista de Auxílio Técnico do CNPq. Ela participou do primeiro trabalho de coleta, realizado na Estação Ecológica Raso da Catarina (BA), e atualmente já participa do segundo, no Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí.
 
Para ela, o projeto é de grande importância para o conhecimento da Herpetologia Brasileira. "Estudos sobre a herpetofauna da Caatinga, bioma exclusivamente brasileiro, ainda são insuficientes e a integração das instituições do Nordeste envolvidas, assim como a participação de pesquisadores estrangeiros permitem um intercâmbio de conhecimentos extremamente enriquecedor", conta.
 
O projeto envolve oito universidades. No Nordeste, além da UFRN e da UFAL, participam a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), a Universidade Federal de Sergipe (UFSE), a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e a Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Colaboram ainda a Universidade de Brasília (UNB) e a Universidade Federal de Goiás (UFG).
 
As próximas unidades de conservação a serem visitadas são: Parque Nacional do Catimbau (PE), Parque Nacional de Ubajara (CE), Estação Ecológica de Aiuaba (CE), Parque Nacional de Sete Cidades (PI), Parque Nacional da Serra das Confusões (PI) e Estação Ecológica do Seridó (RN).

Nenhum comentário:

Postar um comentário