quarta-feira, 18 de maio de 2016

MHN inicia a 14ª Semana Nacional de Museus com palestras e apresentação cultural


Graziela França - estudante de Jornalismo

Na tarde da última segunda-feira (16), aconteceu a abertura da 14ª Semana Nacional de Museus no Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). O evento teve início com a palestra da Arquiteta e Urbanista do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Talianne de Andrade Leal, que falou sobre a importância da preservação da memória do patrimônio público e sua representação para a comunidade.

Na tarde de ontem (17), o presidente do Sindicato dos Guias de Turismo, Henrique Dantas, falou sobre a importância dos museus como elemento cultural e turística da cidade. “O nosso grande desafio é mudar essa imagem de que Maceió é só praia. Aqui tem cultura. Hoje nós temos diversos museus e os profissionais de turismo” destacou ele.

O MHN tem atividades para toda a semana que incluem palestras, oficinas, visitas guiadas e atividades culturais, além da votação do Prêmio Gabriel Skuk de Fotografia e Ilustração Artística.

O Percufal
A apresentação artística ficou por conta do grupo de Percussão Percufal, comandado pelo professor Augusto Moraleze e é composto por alunos do curso de Percussão da Escola Técnica de Artes (ETA) e da graduação de Música da Ufal.

Os músicos apresentaram um repertório variado que incluía músicas como Velho Francisco de Chico Buarque, Collaging, Cage - uma espécie de duelo entre os músicos com sons instrumentais fortes e marcantes. A apresentação foi encerrada com uma música composta especialmente para o Percufal. Moralez mencionou a importância de ter uma música composta para o grupo, principalmente por ser composição de um universitário.

A música Boi portentoso retrata a lenda tradicional do bumbá meu boi e foi composta pelo graduando de licenciatura em música, Felipe Burgos, como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). “Queria fazer algo que retratasse a cultura popular, então pesquisei a bibliografia para ter mais material para a composição” contou Burgos, que dividiu a composição em seis partes, de acordo com a lenda.

O Percufal foi criado pelo professor Augusto Moralez em 2014, através da disciplina de música de Câmara (tipo de música realizada em palácios). “O primeiro intuito de criar o Percufal é pedagógico para que eles possam vivenciar música de Câmara, mas também para que eles possam ter uma vivência artística, fazer apresentações, saber como é a vida profissional de um percussionista”, disse o professor. O grupo já fez várias apresentações e participou de dois festivais internacionais realizados nas cidades de Recife e Salvador.


Confira a programação 

Nenhum comentário:

Postar um comentário